Festmag

Artes no image

Published on Abril 30th, 2010 | by Sara Santos Silva

0

FITEI: Um festival ibérico que se abre para o mundo

Espectáculos de rua, peças de teatro e de dança compõem a 33.ª edição do Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, de 28 de Maio a 10 de Junho. Porto vai ganhar uma nova rua com o nome de um cidadão anónimo.


102_0640

Cal y Canto Teatro (Esp)

O FITEI deste ano alarga as suas fronteiras e reúne no Porto companhias que não se ficam apenas pela península ibérica. Sem renunciar a sua matriz, o festival inicia-se com um espectáculo que promete baralhar o trânsito e provocar os transeuntes da cidade. O pouco convencional “Su-SESO Taladro”, do Teatro Gestual do Chile, será uma intervenção satírica em plena baixa do Porto, junto à estação de S. Bento. Esta é uma das várias propostas de teatro de rua apresentado pelo FITEI, género que agrada particularmente o director do festival, Mário Moutinho. “Acho muito interessante que o público seja apanhado desprevenido, o teatro de rua tem esta capacidade de surpreender quem é apanhado, confrontá-lo, pô-lo a discutir o que vê”, confessa em entrevista.

VIVER A RUA_FINAL

No entanto, este ano, a intervenção urbana do festival vai mais longe. A estrutura convidada do FITEI de 2010 é o Núcleo de Experimentação Coreográfica (nEC) que, segundo a organização do festival, fez uma proposta “assustadoramente interessante”. “Viver a Rua”, um projecto do inglês Joshua Sofaer, pretende ser uma intervenção “forte e duradoura”. No início do FITEI começa o concurso que visa escolher um cidadão anónimo “que mereça um tributo público” – explica o director do nEC, Joclécio Azevedo – e que venha a dar o seu nome a uma nova rua do Porto. A inauguração da rua será de “festa” e terá lugar na próxima edição do festival.

No sentido de colmatar o défice de programação de dança no Porto, a aposta do FITEI nesta área tem sido cada vez maior. Com propostas que não obedecem exactamente a um conceito artístico, mas antes a uma vontade de “mostrar o que se está a fazer nos vários territórios de Espanha”, o festival traz Entremans e a Companhia Marta Carrasco, propostas com “linhas estéticas muito diferentes”, descreve Mário Moutinho.

As parcerias

O Teatro Nacional S. João é parceiro “permanente” do FITEI, desde o primeiro mandato do director artístico Ricardo Pais. Desde então, tem sido uma estrutura “fundamental” e, segundo Mário Moutinho, “se não fosse o TNSJ, dificilmente o FITEI podia ser feito no Porto”. Ao Cine-Teatro Constantino Nery, em Matosinhos, ao Mosteiro de São Bento da Vitória, ao Contagiarte, entre outros, junta-se, pela primeira vez, o Teatro da Trindade. A criação de Dario Fo “Não se Ganha, Não se Paga”, encenada por Maria Emília Correia, apresenta-se, assim, no TNSJ a 1 de Junho.

O programa pode ser visto aqui.

Tags: , , , , ,


About the Author



Comments are closed.

Back to Top ↑
  • PUB

    “FMM Sines”

    “Veracity”

    “VeraMarmelo”

    “MadeofThings”

  • Redes sociais

    Facebooktwittergoogle_plusyoutubeinstagram
  • Facebook

  • Abril 2010
    S T Q Q S S D
    « Mar   Mai »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930