Festmag

Artes no image

Published on Maio 4th, 2012 | by festmag

0

FIMFA LX 2012: O apaixonante universo das marionetas está de volta até 20 de maio

O Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas está de regresso à capital portuguesa entre os dias 4 a 20 de maio de 2012. “Punch and Judy”, por Rod Burnett (4 de maio), “Paper Cut”, por Yael Rasooly (9 e 10), “Salomé perdeu a luz”, por Costanza Givone (13), “Ciclo M 1: M 1.1 e M 1.2”, pelo Teatro de Ferro (17) e “La Música Pintada”, por Joan Baixas (19 e 20) constituem as principais propostas da presente edição do FIMFA.

Programação detalhada

“Punch and Judy”, por Rod Burnett (Reino Unido)
4 de maio às 21:00 (sexta) e 5 de maio às 16:00 (sábado), 40 min.

Sinopse: Mr. Punch tem um nariz gigante e muito vermelho, as suas bochechas e o queixo também são muito vermelhas. Tem uma corcunda grotesca e deformada, pernas, pés e uma moca… a qual usa sem parar e sem medos, mas sempre com muito humor negro…

Ator-manipulador: Rod Burnett
Técnica: Marionetas de luva
Idioma: Inglês e espanhol
Duração: Aprox. 40 min.
Público-alvo: M/6
Preço: Gratuito

“Punch & Judy in Afghanistan”, pelo Stuffed Puppet Theatre (Holanda)
4 de maio às 22:00 e 5 de maio às 21:30 (sexta e sábado), 60 min.

YouTube Preview Image

Sinopse: Neville Tranter, um dos grandes mestres do teatro de marionetas mundial está de regresso, desta vez apresenta a sua última criação e vai levar-nos até ao Afeganistão, com uma versão contemporânea e revolucionária do “Punch and Judy” inglês. Uma aventura que mistura cinismo e humor e onde a interação entre o ator e a marioneta é mais uma vez impressionante: não sabemos quem manipula quem.

Conceção, encenação, marionetas e ator-manipulador: Neville Tranter
Assistência na criação: Tim Velraeds
Fotografias: Mathias Friedrich, Wim Sitvast
Técnica: Marionetas de luva
Idioma: Inglês
Duração: Aprox. 60 min.
Público-alvo: M/12
Preço: 7,5 euros

“Paper Cut”, por Yael Rasooly (Israel)
9 e 10 de maio às 21:30 (quarta e quinta), 50 min.

YouTube Preview Image

Sinopse: Inspirado no cinema americano e nas estrelas de Hollywood dos anos 40, este espetáculo a solo de Yael revela a obsessão e os perigos das fantasias românticas. A linguagem do cinema a preto e branco é transformada no universo “low-tech” do papel recortado e do teatro de objetos, criando uma tensão surreal, cheia de humor e suspense.

Criação e interpretação: Yael Rasooly
Texto: Yael Rasooly e Lior Lerman
Cenografia: Yaara Nirel, Lior Lerman
Desenho de Som: Binya Reches
Desenho de Luz: Adam Yakin
Fotografias: Boaz Zippor
Criado com o apoio de: Train Theater (Jerusalém), Rabinovich Foundation for the Arts
Técnica: Teatro de objetos e papel
Idioma: Inglês
Duração: 50 min.
Público-alvo: M/12
Preço: 7,5 euros

“Salomé perdeu a luz”, por Costanza Givone (Itália)
13 de maio às 21:30 (domingo), 50 min.

Sinopse: Um trabalho sobre a dificuldade de reconhecer a própria identidade, sobre o conflito entre ser e parecer, inspirado na obra “Salomé”, de Oscar Wilde, onde a protagonista não é nem femme fatale nem princesa, mas uma rapariga que poderíamos conhecer.

Criação e interpretação: Costanza Givone
Cenário e desenho de luz: Samuele Mariotti
Montagem, operação de luz e som: Rui Alves
Apoio à criação: João Vladimiro
Fotografias: Luís Martins
Apoios: Andaluga, Casa Rodrigues electricidade, CEM (Lisboa), Scuola di Mimo di Fiesole, Teatro Marionet (Coimbra), Teatro Everest (Firenze), Teatro “I Macelli” (Certaldo), ZdB/Negocio (Lisboa)
Agradecimentos: Anna Filippi, Francesco Givone, Luana Gramegna, Mário Levis, Marta Furtado, Oscar Wilde, Pier Paolo Pasolini, Ricardo Vaz Trindade, Stefano Ciardi
Técnica: Dança e objetos
Idioma: Português e italiano
Duração: Aprox. 45 min.
Público-alvo: M/12
Preço: 7,5 euros

“Ciclo M 1 [marioneta um]: M 1.1 e M 1.2”, pelo Teatro de Ferro (Portugal)
17 de maio às 21:30 (quinta), 50 min.

M 1 é uma forma abreviada para escrever Marioneta 1. Esta é uma designação que temos utilizado como referência ou anotação nas notas de encenação e outros registos manuscritos ou desenhados que nos acompanham nos ensaios. M1 é agora o nome da marioneta que irá protagonizar a solo estas duas criações.

Sinopse: “Ciclo M 1 : M 1.1” é uma peça curta com um formato libertador e paradoxal. A brevidade do estar em cena quer libertar o discurso, ao mesmo tempo remete-nos para uma forma de olhar, um pensamento para a ação ainda mais essencial: «Partindo do ponto em que me encontro (uma condição subjetiva), propus-me indagar sobre a natureza dos elementos disponíveis – eu e o meu corpo, ele ou o outro, a marioneta e a matéria que a enforma. O sujeito e o objeto (con)fundem-se».

Direcção e interpretação: Carla Veloso
Música: Carlos Guedes
Marionetas: Maria Jorge Vilaverde, Júlio Alves
Fotografia de cena: Susana Neves
Design gráfico: CATO
Desenho de luz: Igor Gandra
Operação de luz e som: Pedro Nabais
Confeção do figurino da marioneta: Ana Maria Ferreira
Co-produção: Festival Escrita na Paisagem
Estrutura financiada por: Governo de Portugal, Secretário de Estado da Cultura – DGArtes
Técnica: Mista
Idioma: Português
Duração: Aprox. 20 min.
Público-alvo: M/12

Sinopse: “Ciclo M 1 : M 1.2”. Após o fim do espetáculo, a marioneta fica pousada numa cadeira, algures nos bastidores. Põe-se a sonhar com o teatro. Que sonho será esse? As possibilidades da marioneta são também as suas limitações. Igor recorre à identificação, à manipulação, e por fim à dança. No final, o manipulador deve converter-se na própria marioneta, ou melhor ainda, tornar-se naquilo que a marioneta metaforicamente foi validando ao longo da peça – a sua mortalidade.

Direção: Teja Reba e Loup Abramovici
Interpretação: Igor Gandra
Marionetas: Maria Jorge Vilaverde, Júlio Alves
Fotografia de cena: Susana Neves
Design gráfico: CATO
Desenho de luz: Teja Reba e Loup Abramovici
Operação de luz e som: Pedro Nabais
Confeção do figurino da marioneta: Ana Maria Ferreira, Carlota Gandra
Co-produção: Festival Escrita na Paisagem
Estrutura financiada por: Governo de Portugal, Secretário de Estado da Cultura – DGArtes
Técnica: Mista
Idioma: Português
Duração: Aprox. 20 min.
Público-alvo: M/12
Preço: 7,5 euros

“La Música Pintada”, por Joan Baixas (Espanha)
19 de maio às 21:30 e 20 de maio às 16:00 (sábado e domingo), 60 min.

Sinopse: Um espetáculo de música e pintura para todos os públicos, concebido e interpretado por Joan Baixas. “Contos da minha Mãe Ganso”, de Maurice Ravel e “Pequena Suíte” de Claude Debussy.

Criação e interpretação: Joan Baixas
Técnica: Pintura ao vivo, sombras e objetos
Idioma: Espanhol
Duração: Aprox. 60 min.
Público-alvo: M/8
Preço: 7,5 euros

Siga-nos aqui:

Tags: , , , , , , , , , , ,


About the Author



Comments are closed.

Back to Top ↑