Festmag

Cinema e TV no image

Published on Setembro 5th, 2013 | by festmag

2

“Continental” e “Out in the Dark” no Queer Lisboa 17

O Queer Lisboa 17 arranca na sexta-feira, dia 20 de setembro, às 21:00, com a Noite de Abertura na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge, onde será exibido o documentário “Continental” (EUA, Canadá), de Malcolm Ingram, uma escolha motivada, não apenas pela qualidade formal do filme, mas por contar uma importante história da cultura queer: a da sauna Continental, de Nova Iorque.

Esta é a segunda vez que o Queer Lisboa abre com um documentário, desde a primeira edição, em 1997, onde havia exibido “The Celluloid Closet”. A seguir à exibição do documentário, tem lugar a Festa de Abertura do Queer Lisboa 17, no Teatro do Bairro, que vai contar com uma atuação ao vivo do rapper gay norte-americano Cazwell.

A encerrar o festival, no sábado, dia 28 de setembro, às 21:00, será apresentado “Out in the Dark” (Israel, EUA), de Michael Mayer, um filme que é uma prova do enorme apelo e potencial comercial que o cinema queer pode ter, nesta história de amor entre dois homens – um israelita e um palestiniano –, que mostra o preconceito que se vive dos dois lados da fronteira.

Dentro da Competição foi destacada a estreia nacional do documentário “Interior. Leather Bar” (EUA), realizado por James Franco e Travis Mathews, e confirmada a presença em Lisboa de Mathews para apresentar o filme. “Interior. Leather Bar” procura imaginar o que teriam sido os 40 minutos censurados da versão final de “Cruising” (1980), de William Friedkin, imagens entretanto perdidas. Trata-se de toda a sequência passada num bar gay S/M, que incluiria cenas de sexo explícito. O filme terá estreia no circuito comercial, pela mão da distribuidora Lanterna de Pedra. Destaque ainda, na Competição, para “In The Name Of…” (Polónia), de Malgoska Szumowska, ficção vencedora do Teddy Award da passada edição da Berlinale.

Da presença nacional, destaque, na secção Panorama, para a estreia do documentário “E Agora? Lembra-me”, de Joaquim Pinto, galardoado em agosto último com o Prémio Especial do Júri do Festival de Locarno, e para a exibição de “O Corpo de Afonso”, de João Pedro Rodrigues. Na Competição, presença de duas longas-metragens portuguesas: a ficção “Noches de Espera”, de Tiago Leão, e o documentário “O Carnaval é um Palco, a Ilha uma Festa”, de Rui Mourão.

E as restantes secções do programa do Festival – Queer Focus, este ano dedicada à relação das comunidades sexuais com a cidade, onde será exibido o filme grego “Boy Eating the Bird’s Food”, de Ektoras Lygizos; “Queer Art”, onde foram revelados os programas “Queer Sci-Fi Art” e outro dedicado ao realizador francês Antony Hickling; e as Noites Hard que apresentam uma retrospetiva da obra do norte-americano Avery Willard.

O 17.º festival de cinema Queer conta com um total de 93 filmes, sendo, à semelhança da edição passada, os EUA o país mais representado com um total de 26 filmes. O segundo país com maior presença na programação é Portugal, com 15 títulos, mantendo o mesmo número de filmes da edição anterior, uma prova do crescente interesse dos realizadores nacionais na exploração de temáticas queer.

Foi destacada a diversidade geográfica dos filmes, num total de 26 países, e o facto de os programadores do Festival terem considerado mais de 700 títulos, um valor recorde para o festival. Foi também realçada a diversidade temática e formal da edição deste ano, cujo denominador comum numa parte expressiva dos filmes programados é o da reflexão sobre a difícil situação política e social da Europa, e as suas consequências diretas para as comunidades e indivíduos queer.

O Júri da Competição para a Melhor Longa-Metragem será composto por Andrei Rus (Jornalista e Programador de Cinema, Bucareste), Cinta Pelejà (Diretora do DocLisboa) e Gustavo Vinagre (Realizador, São Paulo). O Júri da Competição para o Melhor Documentário por Bard Ydén (Director do Festival Skeive Filmer, Oslo), Cláudia Varejão (Realizadora, Lisboa) e Michael Stütz (Diretor do Festival Xposed, Berlim). O Júri da Competição para a Melhor Curta-Metragem por André Teodósio (Encenador, Lisboa), António da Silva (Realizador, Londres) e Daniel McIntyre (Realizador, Toronto). O júri da nova Competição In My Shorts por Carlos Conceição (Realizador, Lisboa) Cosimo Santoro (Distribuidor, Itália) e Maria João Mayer (Produtora, Lisboa).

Siga-nos aqui:

Tags:


About the Author



2 Responses to “Continental” e “Out in the Dark” no Queer Lisboa 17

Back to Top ↑