Festmag

Música

Published on Novembro 8th, 2016 | by Cátia Duarte Silva

16

Reportagem | Wim Mertens: noite fria com coração quente

O verão já lá vai e os festivais de calções e chinelo no pé idem. Estamos na primeira noite verdadeiramente de inverno deste ano, mas não é por isso que sentimos frio. À chegada, tocam as nove badaladas. No Centro Cultural de Belém, faz-se silêncio. Apenas temos o Tejo como barulho de fundo antes de passarmos as portas que nos levam ao aconchego. Lá dentro, espera-nos Wim Mertens, em mais um concerto da edição deste ano do Misty Fest.

No palco, o escuro dá lugar a três instrumentos, que antecipam o espetáculo em forma de trio que Mertens traz a Portugal. O roteiro por terras lusas começou em Torres Novas, passando pelo Porto e culminando em Lisboa.

dsc_0208

Sob o olhar atento de uma plateia silenciosa, mas não menos interessada e ansiosa, o compositor belga toma assento ao piano, acompanhado do violoncelista Lode Vercampt e da violinista Tatiana Samouil. Está preparada a fórmula para uma noite de emoções, que percorre momentos icónicos como “Struggle for Pleasure” e produções mais recentes como “Zee vs Zed”.

dsc_0152-2

Numa sala a meia haste, Mertens guia-nos numa viagem, ora cantada ora em instrumental, por lugares míticos como Alexandria ou a Grécia Antiga, havendo ainda espaço para a também inspiração de Roma e Egipto. Um espetáculo que no fundo é uma metáfora para os nossos dias, e que se apresenta como isso mesmo.

dsc_0054-2

A melodia do piano, ao mesmo tempo minimalista e vanguardista, funciona sempre em simbiose com o violoncelo e o violino, numa verdadeira homenagem ao que se faz de boa música por esta Europa fora.

dsc_0099

A primeira parte do concerto esteve a cargo de André Barros, que nos apresentou o mais recente trabalho, “In Between”, acompanhado da violetista Cátia Alexandra Santos.

 

 

Tags: , , , ,


About the Author



Back to Top ↑