Festmag

Cinema e TV

Published on Janeiro 8th, 2018 | by Cátia Duarte Silva

0

Golden Globes: o discurso de Oprah e outros igualmente bons em Televisão

É certo que todos os discursos passam pelo agradecimento obrigatório, mas houve alguns que nos emocionaram, nos tocaram e nos fizeram esquecer do resto. Numa noite de romper com o passado, e em que o tempo é agora, foram estes os discursos mais marcantes da noite.

Oprah Winfrey

So I want all the girls watching here and now to know that a new day is on the horizon! And when that new day finally dawns, it will be because of a lot of magnificent women, many of whom are right here in this room tonight, and some pretty phenomenal men fighting hard to make sure that they become the leaders who take us to the time when nobody ever has to say ‘Me Too’ again.

Na noite em que se tornou a primeira mulher negra a receber o prestigiante Cecil B. DeMille, Oprah deu-nos um discurso que mereceu aplausos de pé, mesmo antes do fim. A apresentadora, atriz, empresária, humanitária, e tanto mais, fez questão de mencionar a sua Sophia de A Cor Púrpura, assim como parte da sua vida, mas partilhou também a vida de Recy Taylor, vítima de abuso, com uma menção, claro, a Rosa Parks. Mulheres marcantes, como tantas outras que referiu:

 So I want tonight to express gratitude to all the women who have endured years of abuse and assault because they, like my mother, had children to feed and bills to pay and dreams to pursue. They’re the women whose names we’ll never know. They are domestic workers and farm workers. They are working in factories and they work in restaurants and they’re in academia, engineering, medicine, and science. They’re part of the world of tech and politics and business. They’re our athletes in the Olympics and they’re our soldiers in the military.

Nicole Kidman

When my cheek is against yours, everything melts away, and that is love

Não é de hoje que Nicole Kidman presta grandes declarações ao marido Keith Urban, pelo que a noite de ontem não foi exceção. A atriz partilhou ainda o prémio com todas as co-protagonistas, ‘this is ours to share. Wow, the power of women’, ao mesmo tempo que fez a inevitável chamada de atenção para o tema central que envolveu a sua personagem em Big Little Lies.

Sterling K Brown

Dan Fogleman, you wrote a role for a black man. That could only be played by a black man. And so what I appreciate so much about this thing is that I’ve been seen for who I am and being appreciated for who I am. And it makes it that much more difficult to dismiss me, or dismiss anybody who looks like me.

Também ele a marcar a história dos Globos, sendo o primeiro negro a receber o prémio de melhor ator principal em Drama, Sterling K Brown relembrou que este foi um papel escrito para um negro, e que por isso mesmo o tornava tão especial. Nós também achamos. Afinal, This is Us não seria metade do que é sem Randall.

Laura Dern

Many of us were taught not to tattle. It was a culture of silencing and that was normalized. I urge all of us to not only support survivors and bystanders who are brave enough to tell their truth, but to promote restorative justice.

Depois de interpretar Renata, uma personagem atormentada pelo bullying feito à filha, Laura Dern, incentivou Hollywood a proteger e dar emprego aos sobreviventes que deram a cara e romperam com o silêncio, para que todos sentissem liberdade para falar sem medo das repercussões

Siga-nos aqui:

Tags: , , , , , , , , ,


About the Author



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Back to Top ↑