Festmag

Browsing the "Crónicas" Category

Reportagem: These New Puritans, uma primeira noite de magia

Novembro 27th, 2013 | by Filipe Pedro

Um regresso anunciado. Dois concertos. Primeiro a norte, no Hard Club, depois a sul, no TMN ao Vivo. Uma vocalista portuguesa – Elisa Rodrigues – com uma voz cândida que encaixa como uma luva nas estranhas camadas sonoras de “Field Of Reeds”, um disco de invulgar qualidade, à antiga, como poucos se fazem nos dias do rei “mp3”, para ouvir alto e bom som na velhinha aparelhagem estereofónica.

G.B.H. + Dalai Lume + Asfixia: Celebração punk / punk’s NOT dead

Novembro 23rd, 2013 | by Paulo Pereira

No passado 3 de novembro terminou a semana (de 8 dias) mais intensa de que tenho memória no que toca à oferta de concertos punk/hardcore. Este foi o 3.º concerto na República da Música, 6 dias após o de DOOM, 8 após o de Biohazard – sendo que este último coincidiu com a actuação de Toy Dolls na sala TMN Ao Vivo, tornando impossível o que já seria extremamente complicado à partida: conseguir fazer o pleno e ir a todos, mesmo em caso de haver disponibilidade e dinheiro para tal. Eu próprio me fiquei pelo triplete mas de bom grado teria feito o póquer…

Reportagem: Pixies – é possível regressar onde já se foi feliz

Novembro 12th, 2013 | by Paulo Pereira

Falar dos Pixies é falar da minha história enquanto consumidor ávido de música ao vivo. Aquando da sua estreia em Portugal, nos idos de 1991, eram já a minha banda favorita. Não fui ao concerto por ainda ter 17 anos, sendo que a regra para os meus pais era soltarem-me no Mundo quando atingisse a maioridade – e nem um dia antes.

Reportagem: Miss Kittin + Nelson Flip & Yellow + Bandido$ (Ministerium)

Novembro 11th, 2013 | by Filipa Marta

Na noite de sexta-feira, 8 de novembro, o Ministerium Club abriu as portas para mais uma sessão Jameson Backroom com a eletrónica como mote. Bandido$ foram o aperitivo, iniciando a pista de dança por volta da meia noite para uma casa ainda vazia, uma espécie de chill out eletrónico onde a conversa e um copo na mão entreteram os presentes.

Reportagem: Suede no Coliseu – a Britpop foi há 2 décadas (mas continua a bater)

Novembro 8th, 2013 | by Paulo Pereira

É dos livros (dos que imagino existirem embora nunca tenha lido): a cada novo género musical que surge depressa se encontram dois colossos mais ou menos antagónicos mas é (também) à margem da fama e sucesso de tais colossos que se encontram os projectos mais fascinantes. Agora com exemplos práticos – e ambos vindos do mesmo período histórico: no grunge havia Nirvana (bom) vs Pearl Jam (mau). Nas margens os excelentes Alice In Chains, Melvins e Mudhoney. No que toca à britpop – que é o que hoje interessa – tínhamos Blur (bom) vs Oasis (mau) e nas margens a excelência dava pelo nome de Pulp, Supergrass e… Suede. Obviamente.

Reportagem: Toy Dolls & Mata Ratos ou «estaremos demasiado velhos para isto?»

Outubro 31st, 2013 | by Paulo Pereira

Sábado à noite a sala TMN ao Vivo foi palco duma das maiores celebrações punk dos tempos mais recentes. Tratava-se do regresso a Portugal duma das bandas mais influentes do género acompanhada por um dos maiores pesos pesados da cena nacional. Passada uma hora das 21:30 (hora marcada para o início do espetáculo) a fila de fiéis à espera para entrar ainda passava do exterior da sala, em ângulo de 90 graus, em direcção ao rio. Mais ordeiramente do que é habitual nestes casos, todos foram entrando – inclusive o grupo de punks que pagou os seus bilhetes em trocos previamente cravados a quem ia chegando…

Reportagem: White Haus e Xinobi em grande forma, Little Boots (DJ) desiludem

Outubro 21st, 2013 | by Cláudia Sousa

O segundo dia do festival Jameson Urban Routes, no Musicbox, teve início com White Haus. O mais recente projeto de João Vieira, ex-vocalista e guitarrista dos X-Wife, promete deixar qualquer pista de dança ao rubro, pois a energia transposta do público para o palco e os ritmos são de tal forma vibrantes que é impossível o corpinho não mexer.

Reportagem: IV Mêda+ (25, 26 e 27/07/2013)

Julho 31st, 2013 | by Paulo Pereira

No último dia do festival, um membro da organização disse-me o seguinte: «Sabes que os Parkinsons estiveram cá este ano por tua casa, não sabes?». Isto porque, na despedida da anterior edição do festival, tinha dito a quem me quisesse ouvir - e eram uns quantos porque eu era «o gajo que tinha vindo sozinho de Lisboa» - que os Parkinsons seriam uma banda à medida do festival – ideia que repeti na crónica ao festival. Outro membro perguntou-me a pergunta que se impunha a seguir: «Então e quem é que queres cá ver para o ano?» A resposta a esta pergunta fica para o fim da crónica…

Reportagem: S de sucesso na 19.ª edição do SBSR

Julho 27th, 2013 | by Pedro Santos

A edição do Super Bock Super Rock deste ano foi, na nossa opinião, um verdadeiro sucesso. Com efeito, o já mítico SBSR teve todos os ingredientes que fazem as delícias dos festivaleiros mais ferrenhos: muita música e para todos os gostos, muita cerveja, e todo o tipo de atividades lúdicas no recinto do festival, sito na Herdade do Cabeço da flauta, Meco.

Crónica: O que esperar da 19.ª edição do SBSR

Julho 15th, 2013 | by Rute Gonçalves

Uma mais verde e melhorada Herdade do Cabeço da Flauta, junto à praia do Meco em Sesimbra, recebe a 19.ª edição do festival Super Rock Super Bock a decorrer nos dias 18, 19 e 20 de julho. Tem como cabeças de cartaz três aguardados regressos aos palcos portugueses, respetivamente: Arctic Monkeys, The Killers e Queens of the Stone Age. Porém, com três palcos disponíveis há muita música à escolha dos festivaleiros que se desloquem ao palco (quase) à beira mar plantado. Samuel Úria, Mazgani, Clã, Manuel Fúria e Kalú (dos Xutos & Pontapés) são algumas das apostas nacionais nos palcos alternativos. Mas há mais.

Crónica: Optimus Alive – O melhor cartaz dizem eles, nós só podemos concordar

Julho 3rd, 2013 | by Margarida Guerreiro (Bia)

Desde 2007 que há um festival que nunca desilude, dá pelo nome de Alive. Sejamos francos, a marca há muito que vive sozinha e é indicador de qualidade, sem precisarmos de prémios europeus que o comprovem. Ao longo dos anos o Optimus Alive soube crescer e reinventar-se a cada ano que passa. Se num ano a troca de bilhete por pulseira demora muito, no ano a seguir o problema está resolvido de forma eficaz e este é apenas um exemplo de como ter atenção ao público é muito importante.

Reportagem: Tumulto Fest no Ginásio Clube de Corroios (29/06/2013)

Julho 1st, 2013 | by Paulo Pereira

Estava uma tarde tórrida quando cheguei a Corroios para assistir ao meu décimo concerto da minha banda favorita. De tal forma o calor atacou que, horas mais tarde, durante a atuação dos cabeças de cartaz, foi possível ver um “stage-diver” usando nada mais que… uns calções de banho.

Bizarra Locomotiva: 2 décadas tem esta viagem

Abril 18th, 2013 | by Paulo Pereira

Honra lhes seja feita, os Xutos & Pontapés, goste-se ou não da música, sempre tiveram o mérito de puxar por bandas mais novas, convidando-as para atuarem consigo. E ao celebrar os seus 15 anos de carreira, nos idos de 1993, os Xutos encheram o Campo Pequeno dando a 1.ª parte a duas bandas emergentes da cena nacional - Lulu Blind e Bizarra Locomotiva.

Yo La Tengo ou um “cult-study” à portuguesa

Março 26th, 2013 | by Paulo Pereira

Bandas e artistas há que em Portugal resultam sempre melhor que no resto do mundo – de dEUS a Ben Harper, dos Therapy? (ainda serão vivos?) aos Tindersticks passando por estes eméritos cidadãos de Hoboken, Nova Jérsia.

Reportagem: Optimus Primavera Club 2012 (domingo)

Dezembro 4th, 2012 | by Paula Lagarto

A doença para os Vaccines contagia. Depois dos 35 anos vai sendo difícil estar num festival de música e ver em cima do palco membros de bandas com pelo menos a mesma idade. Os Vaccines estão bastante abaixo da minha faixa etária, mas já sabem muito. Depois de uma vinda ao Meco em 2011, o grupo de Londres voltou para fechar o Primavera Club 2012, em Guimarães.

Reportagem: Optimus Primavera Club 2012 (sexta-feira)

Dezembro 1st, 2012 | by Paula Lagarto

É novembro em Guimarães e há frio. Mas qual frio? A cidade de Guimarães num 30 de novembro faz pensar imediatamente em temperatura baixa e não na primavera. Mas o tempo esteve bom, muito bom na cidade berço no início do Club2012 da Optimus, a versão dentro de portas do festival Primavera Sound.

Crónicas ácidas: «Para que servem os festivais de cinema?»

Novembro 7th, 2012 | by Hernâni Duarte Maria (realizador)

Com este título inicio uma série de crónicas sobre cinema e as suas mais variadas vertentes, quer sejam festivais, filmes, curtas-metragens, realizadores, atores ou demais assuntos na FEST MAGAZINE. O título poderá ser provocatório, talvez seja, mas a pergunta que faço e deixo no ar é essa mesma: «Para que servem os festivais de cinema?».

Crónica do melhor dia do Bons Sons

Setembro 5th, 2012 | by Paulo Pereira

Em abono da verdade tenho de dizer que o que me fez ter vontade de ir ao Festival Bons Sons foi a sequência (para mim) devastadora (elogio!) de concertos programados entre as 22:00 e a 01:00 de dia 17 - o segundo dos 4 dias de festival: Linda Martini/The Legendary Tiger Man/Paus?! Passe o exagero, por tal sequência de bons (ótimos!) sons seria capaz de ir a Beirute.

3.º Mêda +: A idade da afirmação

Agosto 2nd, 2012 | by Paulo Pereira

Como tantos outros, também eu não fazia ideia onde ficaria Mêda até ao dia da minha primeira visita, na segunda edição (o ano passado, portanto), para atuar com a Inoportuna. Devido a isso, seguem-se umas breves coordenadas: Mêda fica a 70 kms da Guarda, 100 de Viseu e pouco menos de 400 (!) de Lisboa. Tem pouco mais de 5000 habitantes... o que é indicativo do sucesso do festival, visto que a organização referiu a passagem de cerca de 3500 pessoas pela edição do ano passado e 4000 pela deste.

Crónica SBSR: Sem vacinas, nem cura para ‘Generation Gap’ no último dia do festival

Julho 9th, 2012 | by Paula Lagarto

«A senhora vai bazar?». A pergunta foi feita ao meu lado, mas podia ter sido para mim quase no final do concerto de Regina Spektor no final do Super Bock Super Rock (SBSR), que antecedia o encerramento do festival com a atuação de Skrillex. A atuação do músico que se centra no dubstep “bué pesado”, como me foi explicado no almoço de domingo pelo meu sobrinho de 20 anos, foi mudada do palco principal para o secundário. E o choque de gerações e de gostos musicais provou não ter vacinas, nem cura.

Reportagem Optimus Primavera Sound (dia 3) – O silêncio é de ouro e as palavras também

Junho 10th, 2012 | by Paula Lagarto

De branco. De lado. De óculos escuros J.Spaceman olhou no máximo duas vezes e bateu uma vez palmas para o público que à chuva ouviu Spiritualized. Às escuras no palco. De casaco vestido. Com a barba longa Warren Ellis cumprimentou o público logo nos testes de som dos Dirty Three. Mas o público do Primavera do Porto respondeu com o mesmo entusiasmo quer à falta de palavras de uns e às longas histórias dos outros. Porque os dois ambientes foram mágicos.


Back to Top ↑
  • PUB

    “Muvi2017”

    “Veracity”

    “VeraMarmelo”

    “MadeofThings”

  • Facebook

  • Setembro 2017
    S T Q Q S S D
    « Ago    
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930